Foi Deus quem criou o mal?

Se Deus é luz e não suporta o mal e as trevas; como, então, explicar o mal?

Foi Deus quem criou o malSe Deus é bom, porque existe o mal no mundo? Este é um dos questionamentos mais sérios da criatura humana. Deus não é, e nunca foi o autor do pecado, porque Deus é amor. Através desse Seu atributo, Ele deseja relação pessoal com aqueles que possuem Sua imagem e semelhança – o homem. E a bondade de Deus “é o atributo em razão do qual Ele concede a vida e outras bênçãos às suas criaturas” (Salmos 25.8; Romanos 2.4).

O escritor Myer  Pearlman oferece-nos uma resposta satisfatória quanto à existência do homem e do amor de Deus:

1 – Deus não é responsável pelo mal. Na verdade, todo sofrimento que há no mundo é consequência da desobediência deliberada do homem (Romanos 5.12);

2 – Sendo Deus Todo Poderoso, o mal existe com Sua permissão;

3 – Deus é tão grande que pode fazer o mal cooperar com o bem;

4 – Deus formou o Universo segundo as leis naturais, e estas implicam na responsabilidade de acidentes, se desobedecidas; e

5 – É bom lembrar sempre que tal não é o estado perfeito das coisas, pois na vida futura Deus mostrará a razão de Seus tratados e ações. Por ser soberano, o Senhor tem o direito absoluto de governar e dispor de Suas criaturas como lhe apraz.

Deus criou, no eterno passado, aquele a quem as Escrituras Sagradas chama de “Estrela da Manhã”, “Estrela da Alva” (Isaías 14.12; Ezequiel 28.12-16), ou seja, um anjo poderoso que habitava no Jardim do Éden (esta Terra). É também chamado de “Lúcifer” (o que dá luz). Estes são a mesma personalidade, e Deus o criou perfeito em seus caminhos e como chefe dos querubins. Era o maior dentre todos os querubins por ser destinado a comandar a exaltação e a glorificação de Deus, o Criador do Universo (Gênesis 3.24; Ezequiel 28.14). Porém, o orgulho, o egoísmo e as ambições desordenadas tomaram conta dele ao ponto de investir contra Deus para usupar-Lhe o trono (Isaías 14.13). Foi esse pecado que o transformou de anjo de luz em Satanás, o Diabo, o pai da mentira e de todo o mal que grassa no mundo.

Assim, pelo pecado da inveja e do orgulho, foi Lúcifer destronado da mansões celestiais com seus anjos, transformando-se nesse ser repugnante de todos, conhecido como “diabo” (Ezequiel 28.19; Judas 6). Originado no céu, foi na obra prima da criação que Satanás desencadeou todo um processo de degeneração da bondade de Deus no coração do homem (Gênesis 3.6,7,14-19).

Na harmonia do céu, no eterno passado, Deus tinha um cooperador em Sua obra de beneficência e que poderia apreciar Seus propósitos e participar de Sua alegria ao dar felicidade aos seus criados – Cristo, o Unigênito do Pai, que poderia penetrar em todos os conselhos e propósitos de Deus (provérbios 8.22-30; Malaquias 5.2). O Pai (Deus) operou por Seu Filho na criação de todos os seres celestiais (Colossenses 1.16) e tem a primazia sobre todos eles.

O ódio de Satanás contra a humanidade referia-se em astúcias à morte eterna. Mas a bondade de Deus é que todos cheguem ao arrependimento e o dom gratuito de Deus é a vida eterna, e só o sangue de Jesus Cristo pode operar em nós a vitória sobre o mal.

Por, Nemuel Kessler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *