Os nove tipos de desviados de que falam as Sagradas Escrituras

Os nove tipos de desviados de que falam as Sagradas EscriturasA Bíblia alerta-nos em relação ao cuidado que devemos ter para não nos desviamos. Em Hebreus 2.1, lemos: “Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas”. Em Provérbios 4.26-27, o sábio Salomão afirma: “Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados! Não declines nem para a direita, nem para a esquerda; retira o teu pé do mal”. O apóstolo Paulo, em 1 Coríntios 10.12, alerta: “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe para que não caia”.

O que poucos percebem, porém, é que há, segundo as Sagradas Escrituras, tipos diferentes de desvios que um cristão pode cometer em sua caminhada. Ao todo, encontramos pelo menos nove tipos de desviados na Bíblia. Portanto, vejamos cada um deles.

O desviado da fé em Cristo

Paulo alerta quanto a não nos desviarmos da fé em Cristo em 1 Timóteo 6.10, 21 e 1.5-6. O desviado da fé em Cristo está morto espiritualmente, pois “o justo viverá da fé” (Romanos 1.17).

O desviado da fé, se continuar nesse estado, pode tornar-se um apóstata, que é o “réprobo quanto à fé” (2 Timóteo 3.8 e Salmos 73.27).

A Palavra de Deus nos adverte: “Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé” (1 Timóteo 1.19).

Considerando esse tipo de desviado, devemos todos meditar em 2 Coríntios 13.5: “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos”.

O desviado da doutrina

O salmista demonstrou estar alerta quanto a desviar-se da doutrina (Salmos 119.51) e o apóstolo Pedro alertou quanto ao perigo desse tipo de desvio (2 Pedro 2.21). Outro texto relacionado ao assunto, e de forma contundente, são Salmos 119.21, 118.

Os desviado da doutrina bíblica é o desviado da lei divina, dos ensinos do Senhor segundo revelado pela Palavra de Deus.

O desviado da doutrina muitas vezes permanece na igreja porque ainda observa parcialmente alguma doutrina, mas é refratário à doutrina bíblica em geral.

O desviado da verdade

O desvio da verdade é um dos temas do apóstolo Paulo em suas cartas  a Timóteo e a Tito (2 Timóteo 2.18 e Tito 1.14). O apóstolo Tiago também fala sobre o assunto (Tiago 5.19-20).

O desviado da verdade optou pela mentira, vive na mentira e vive mentindo.

O desviado da verdade crê facilmente na mentira, porque a mentira para ele é como um cabo que da em qualquer ferramenta de trabalho.

O desviado da congregação

O desvio da congregação ou da igreja é mencionado em Hebreus 10.25. Esse tipo de desviado afasta-se do templo e dos cultos. Ele abandona o templo, não vem mais à Casa do Senhor, não está mais em comunhão com seus irmãos. É o filho pródigo que abandonou a casa do pai para seu próprio mal (Lucas 15.11-24).

A Bíblia ressalta em várias passagens a atitude que o crente deve ter em relação à Casa do Senhor (Salmos 27.4; 84.10; 122.1; 23.6b; Eclesiastes 5.1).

O desviado dos irmãos na fé

Paulo repreendeu a Pedro pela atitude oscilante em Atioquia, quando chegou, em determinado momento, a afastar-se de irmãos na fé (Gálatas 2.11-12).

O desviado dos irmãos na fé é aquele crente que mantém-se afastado dos irmãos. Esse tipo de desviado vem aos cultos, mas afasta-se dos seus irmãos em Cristo; não fala com eles, fala mal deles e também evita-os.

O desviado da obediência

O salmista menciona a atitude de desviar-se da obediência ao Senhor (Salmos 119.10). Trata-se daqueles crentes que, mesmo conhecendo a verdade de Deus, vivem em desobediência ao que é reto, justo e santo, isso em casa, na igreja, no trabalho, na escola etc.

O crente deve viver sempre em obediência ao Senhor, não para que sua obediência salve, mas porque já é salvo.

Para o crente, o perigo de desvio nesse sentido é primeiramente para a “direita”, que é o caso de ele fazer a coisa certa de modo errado.

“Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita, nem para esquerda” (Isaías 30.21). Veja também Deuteronômio 5.32;  17.11, 20; 28.24; Josué 1.7; 23.6 e Provérbios 4.27.

Na consagração dos sacerdotes, segundo o mandado do Senhor, além do óleo santo e precioso sobre a cabeça do candidato (Levíticos 8.12), o sangue consagrador era posto (Êxodo 29.20 e Levíticos 8.23-24):

a) No ouvido direito do sacerdote – A mensagem aqui é: Obedecei direito a Deus! No sangue há poder para isso!;

b) Na mão direita do sacerdote – A mensagem é: Servi direito a Deus! No sangue há poder para isso!;

c) E no pé direito do sacerdote – A mensagem é: Andai direito diante de Deus! No sangue há poder para isso!

O desviado do caminho

Em Êxodo 32.8 e 2 Pedro 2.15, encontramos referências ao desviar-se do caminho de Deus. O desviado do “caminho direito” (2 Pedro 2.15) entrou por um “atalho” errado que alguém inventou ou o próprio desviado inventou para si.

Atalho pode parecer o caminho real, mas não é caminho real. Leia Jeremias 2.13 e Hebreus 3.12.

O desviado do ministério

A Bíblia fala ainda do desviado do santo ministério (Atos 1.25). Judas Iscariotes assim o fez e também Demas (2 Timóteo 4.10), e outros mencionados nas Epístolas de Paulo a Timóteo e a Tito.

O desviado de Deus

Finalmente, a Bíblia fala ainda do desviado de Deus (Romanos 3.12 e Salmos 14.2-3). É uma referência ao estado em que se encontra a humanidade ímpia e incrédula em geral a partir da Queda no Éden.

Esse desvio da humanidade, abandonando a Deus, não ocorreu de vez, nem de repente, mas aos poucos. A Bíblia evidencia que a primeira religião na terra era monoteísta; era a crença e a  obediência ao verdadeiro e único Deus (Romanos 1.19-21).

Outras referências bíblicas que devem ser lidas com reflexão e oração sobre esse assunto de desvio em geral bem como sobre o desviado em geral, são 2 Crônicas 15.1-2; Jeremias 3.22; Ezequiel 18.24, 26; 33.18; 34.4, 6,16; Oséias 14.1; Lucas 15.4, 8,11-13; 1 Coríntios 10.12 e Apocalipse 3.14-22.

Por, Antonio Gilberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *