A Igreja e o trabalho social

“Qual o lugar e a importância da ação social na Igreja? E qual deve ser o nosso modelo de ação social à luz da Bíblia para atender os necessitados ao nosso redor?

A Igreja e o trabalho socialOs cuidados de Deus pelo homem são manifestos em todo o conteúdo bíblico, tanto no Antigo como no Novo Testamento. E, sem dúvida, este cuidado estende-se ao ser humano em todas as dimensões: corpo, alma e espírito. A igreja deve proceder da mesma forma. Deve preocupar-se com o bem-estar espiritual ensinando o caminho de Deus, evangelizando e pregando o Evangelho a toda criatura e encaminhando-a para a comunhão com Deus. Ela deve estar cuidando da alma e encaminhando aqueles que carecem de conforto, orientação e afeto; e cuidar do corpo físico, suprindo suas necessidades de pão, roupa, medicamento e educação.

Na área social, a igreja tem um exemplo digno de ser seguido nos primeiros capítulos de Atos dos Apóstolos. O modelo que temos é o da Igreja Primitiva, a qual se estruturou de tal maneira que conseguiu conquistar a confiança e o respeito da sociedade (Atos 2.42, 47; 4.32, 35 e 5.13-14). Podemos classificar o perfil da igreja da época dos apóstolos, à luz dos primeiros capítulos do livro de Atos, em três áreas distintas, a saber: a marturia, isto é, o testemunho, a orientação espiritual, o evangelismo e a pregação e ensino da palavra; a koinonia (a formação da comunidade social) descrita em Atos 2.42, 47; a diaconia ou o serviço de atendimento social, bem descrito em Atos 6.1-10.

Observando esse modelo, podemos encontrar uma forma para a igreja crescer de forma sadia.

A igreja Assembleia de Deus no Brasil, desenvolvida por missionários suecos e norte-americanos, teve um extraordinário crescimento. Em pouco mais de 20 anos, todos os Estados brasileiros estavam alcançados pela mensagem pentecostal. A marturia foi o ministério que mais se desenvolveu. Porém, estes missionários não esqueceram da diaconia, e desenvolveram obras sociais, tais como asilos, orfanatos, creches e escolas.

Sendo a Bíblia a nossa regra de fé e crença, nos espelhamos no modelo e nas ações sociais da Igreja Cristã dos dias apostólicos, onde  encontramos referência a três distintos ministérios. Já os mencionamos, mas o faremos agora de forma mais didática. São eles:

a) A marturia – É o testemunho, o qual inclui o ministério da Palavra e da oração, conforme Atos 6.4;

b) A koinonia – É a administração e estruturação comunitária do novo segmento social (Atos 2.42-47);

c) A diaconia – É o atendimento aos pobres, carentes e necessitados (Atos 6.1-10).

Com a estruturação dessas atividades, teremos a condição de desenvolver um método que envolva a todos os membros da igreja, organizando-os segundo seus valores e vocações, o que facultará o cumprimento integral de tão nobre missão.

Dois aspectos a se considerar ainda: primeiro, as obras não salvam, mas são uma evidência indispensável e visível da salvação experimentada pelo povo de Deus (Tiago 2.14-26). E em segundo lugar, só uma igreja bem estruturada e entrosada na sociedade poderá ganhar o povo de diferentes classes sociais para Cristo. E as instituições sociais e beneficentes poderão se constituir em bases de aproximação para a conquista da população para Cristo.

Por, Íris Goulart Seixas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *