Princípios orientadores da parentalidade

Princípios orientadores da parentalidadePor maior que seja a pressão social e eclesiástica sobre os pais, todos que têm filhos entendem que existem dias em que o caos parece ter tomado conta de casa. Desde o drama matinal de tentar levar as crianças à escola até a hora barulhenta de dormir. Minha esposa e eu ontem tivemos um dia assim. E na hora em que a casa finalmente estava em silêncio (pela primeira vez no dia todo), nós dois parecíamos vítimas de Estresse Pós-Traumático.

Creio que todos nós pais, até os mais organizados e equilibrados, já tivemos alguns dias como esse. Porém, até nesses dias mais difíceis eu tento trazer à memória o quanto essas crianças são uma bênção enorme de Deus. E por isso devo encontrar nEle forças e sabedoria para mesmo nos momentos mais caóticos, lembrar e agir de acordo com os pontos mais importantes da parentalidade (termo psicanalítico do processo de construção de um pai e uma mãe, cumprindo suas responsabilidades).

Os sete princípios orientadores a seguir têm sido uma grande ajuda em minha família (especialmente nos dias mais difíceis) e podem ajudar a sua também.

1º – As crianças precisam de sua presença, não de seus presentes: O maior presente que você pode dar aos seus filhos é o seu tempo. Eles podem aguentar ter menos de qualquer outra coisa, se isso significar ter mais de você. Faça do tempo juntos uma prioridade e tente ser totalmente engajado, isto é, estar presente por inteiro, (sem telefone, internet, etc.). Eu escolhi a hora de dormir, que para mim há menor número de distrações e passamos um tempo de qualidade juntos.

2º – Regras sem relacionamento levam à rebelião: Segundo o Dr. James Dobson do ministério global Focus on the Family, regras sem um relacionamento real e próximo com seus filhos só o levaram a um caminho de rebelião. O que infelizmente temos observado com frequência, mesmo no lar de respeitados homens de Deus. As regras só fazem sentido para crianças dentro do contexto das relações, o que remete ao princípio número um: as crianças precisam de sua presença. Sem o amor na prática do dia-a-dia, em atitudes, não só em palavras o rigor, limites e regras, mesmo sendo necessários, transformam-se apenas em controle, ditadura e opressão. Invés de regar e fazer os filhos crescerem saudáveis emocionalmente, os sufocam, eles não florescem e desenvolvem um grande sentimento de rejeição, revolta e outras sequelas psicológicas por não terem se sentido amados, apenas dominados.

3º – Filhos seguem seus exemplos mais do que suas palavras: Eu quero que meus filhos obedeçam apenas “porque eu mandei”. Mas, eu tenho que aceitar a realidade de que a minha influência a curto prazo e o impacto de longo prazo em suas vidas será ligado ao meu exemplo muito mais do que as minhas palavras. Por isso, eu tenho que viver os valores que estou tentando ensiná-los ou eles cresceram sem eles ou pior, com os valores deste mundo.

4º – Uma família forte é construída sobre um casamento forte: Eu vejo tantos casais colocarem seu casamento de lado quando os filhos nascem, enquanto estão crescendo. Apenas para acabar com um ninho vazio e um casamento vazio quando as coisas seguirem a sua ordem natural – mais cedo ou mais tarde seus filhos devem querer sair de casa, seu cônjuge não. E certamente um dos maiores presentes que você pode dar aos seus filhos é a segurança que vem de ver sua mãe e seu pai em um relacionamento de amor e compromisso um com o outro. Investir no seu casamento é investir em toda a sua família.

5º – Eu preciso ser o maior incentivador de meus filhos, não o seu maior crítico: Claro que existem momentos que preciso corrigir e disciplinar meus filhos. É desconfortável muitas vezes, mas principalmente necessário. Porém, no geral, eu quero que o clima de casa seja encorajador e animado. As mentes e corações jovens das crianças são como cimento molhado e as palavras que um pai diz deixarão impressões duradouras e marcantes. Difíceis de remodelar. Eu quero que as minhas impressões sejam as mais motivadoras possíveis. Esse é um presente que os filhos levam para a vida toda e podem fazer toda diferença entre o fracasso e o sucesso deles no que quer que decidam fazer.

6º – Se eu não ensinar meus filhos, alguém o fará: Há milhares de pessoas, programas de TV, internet, amigos que irão ensinar seus filhos sobre a vida se você não o estiver fazendo. Às vezes é difícil competir com todas essas vozes, mas o segredo é mais simples do que você imagina, seguindo esses princípios na prática.

7º –  Compartilhe o máximo de fé, comida e diversão que você puder! – Torne a fé em Cristo a fundação de tudo o que você faz. Coma quantas refeições em família você puder e crie o maior número de oportunidades de diversão possível com seus filhos! Risos devem ser a trilha sonora de sua família. Será que hoje a de sua casa não tem sido o silêncio, pelo medo da sua censura ou a gritaria de quem está tentando desesperadamente chamar sua atenção?

No mais, não seja tão duro consigo mesmo naqueles dias em que você sente como se tivesse estragado tudo. Mesmo nos dias difíceis, lembre-se que Deus é contigo e juntos você está gerando um impacto enorme!

Por, Dave Willis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *