É para frente que se avança

É para frente que se avançaAvançar é o mesmo que deslocar-se, sair do lugar da mesmice, viver novas experiências, receber o novo, sair da zona de conforto. Avançar é ordem do Senhor!

Jacó serviu à Labão durante muito tempo (Gênesis 31. 3, 13). Labão o enganou diversas vezes e tentou roubá-lo também, mas o Senhor era com ele e o transformou num homem rico. Após algum tempo, Jacó percebe que Labão e seus filhos começam a ter inveja e ciúmes dele e de tudo que ele possuía. Nesse momento, o Senhor fala à Jacó que ele deve retornar à terra de seus pais e que estaria com ele nessa jornada. Jacó se acomoda, achando que as atitudes de seu sogro e seus cunhados não apresentavam uma ameaça a ele. Deus, então, fala novamente com ele, mas agora o ordenando que cumpra imediatamente o que Ele havia mandado. Jacó precisava sair de sua zona de conforto e obedecer a Deus. Ele devia estar se perguntando: Mas, porque tenho que sair daqui? A cara feia de meus cunhados não significa nada para mim!

Durante sua jornada de regresso, Jacó resolve parar em Sucote e, como o lugar era bom, ele faz ali uma casa para si e sua família, ajeita palhoças para seu gado e fica naquele lugar. Mas não era esta a ordem de Deus! Por mais que Sucote fosse um bom lugar, a ordem do Senhor era clara: Retornar à terra de seus pais, que era Betel! Talvez incomodado pela sua consciência, passado algum tempo, Jacó vai-se embora com todos até Siquém. “Agora, sim”, ele deve ter pensado, “terra boa, farta e com bons habitantes”. Então ele compra um pedaço de terra, pagando uma fortuna por ele, ergue um altar para Deus. Talvez Jacó tenha pensado: “Agora estou no lugar certo e Deus vai continuar me abençoando!”. Acontece que Deus não faz confusão em nossas cabeças, e quando Ele ordenou a Jacó que saísse da casa do seu sogro, era para retornar à terra de seus pais, numa viagem direta, sem escalas! O Senhor disse que seria com ele durante seu regresso, mas ele afastou-se da ordem de Deus, e quem faz isso está sujeito a pagar um preço muito alto.

Às vezes, agimos como ele. Deus nos fala para fazermos algo e nós, deliberadamente, modificamos o projeto original dEle e ainda queremos que dê certo. Fazer de forma incompleta, errada e ainda tentar negociar com Deus é uma afronta.

Jacó chega a Siquém, arma uma cabana próxima à cidade, e começa a conviver com os moradores daquele lugar. Ele não sabe que ainda pagará caro por ter se afastado dos planos de Deus. Após um pequeno período, começam a chegar até ele, as cobranças derivadas da desobediência: 1º) Ele fez uma casa numa terra que teve que abandonar. A casa custou um dinheiro que ele não recuperou; 2º) Ele pagou uma fortuna por um pedaço pequeno de terra; mais uma vez, gasta sem ter como recuperar, pois ele não ficaria ali muito tempo; 3º) Sua única filha sofre uma violência de um príncipe local e é humilhada em sua honra, o que naquela época era passível até de morte; 4º) Seus filhos tornam-se assassinos, tentando vingar a honra da irmã caçula. A conta foi cobrada bem alta em cima de Jacó. Os bens materiais que perdeu, nem se comparam com a marca eterna que levaria pelos seus filhos. A filha única desonrada e dois de seus filhos homens com sangue nas mãos. Tudo isso pela desobediência ao Senhor.

Será que havia necessidade de tudo isso ter acontecido? Claro que não! Deus não poderia ter evitado que Diná, filha única de Jacó, sofresse essa violência? Sim, Ele poderia, mas essa violência foi brecha aberta pelo próprio Jacó, e ele acabou expondo todos os seus a esses atos de maldade. Se Jacó tivesse obedecido, e ido diretamente a Betel, tudo estaria em paz, pois o Senhor seria com ele. Mas ele parou em Sucote, demorou-se, depois parou em Siquém… Ele resolveu seguir outro caminho. E nós? Estamos avançando naquilo que Deus tem requerido de nós? Estamos obedecendo ou fazendo escalas?

Diná foi violentada e dois filhos se tornaram bárbaros assassinos. Poderia ter evitado isto? Sim! Se não tivesse ficado em Sucote ou Siquém. Toda vez que tento postergar a ordem de Deus e fazer diferente, vou pagar um preço. Salém ficava a 60 km de Betel. Ele estava perto. Talvez pensasse: “Não é Betel, mas é bem perto”. O que foi que Deus pediu para você fazer? Quando não fazemos, o preço é impagável. Uma filha violentada e dois filhos assassinos é algo muito terrível. Deus foi bem claro para Jacó: Betel. Ele deveria ir sem escalas. Deus tem sido claro? Andamos fazendo muitas escalas? Você recebeu de Deus uma determinação, mas pode ser que tenha parado num determinado lugar que não deveria parar.

Por, Jaime Soares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *