Ex-satanista se converte na prisão e ganha muitas almas para Jesus

Hoje pastor assembleiano, Washington Veloso conheceu a Cristo através de ministério de evangelismo da Assembleia de Deus nos presídios

Ex-satanista se converte na prisão e ganha muitas almas para JesusO pastor Washington Veloso de Lima é fruto do trabalho de evangelismo em presídios da Assembleia de Deus Ministério de Todos os Santos, no Rio de Janeiro (RJ), liderada pelo pastor Sérgio Teixeira Jorge. Washington, que entre outros envolvimentos com cultos satânicos, era dono de terreiro de macumba, foi preso por formação de quadrilha, sequestro, associação ao tráfico e homicídio, condenado por 38 anos. Na cadeia, era um grande perseguidor dos crentes até ser “perseguido” por eles para ser evangelizado. Ao ter um encontro verdadeiro com Cristo, se tornou o maior evangelista de lá. Atualmente, cumprindo sua pena com a justiça humana em regime aberto e liberto do juízo espiritual pela graça de Cristo – a convite de seu discipulador, pastor Marcelo da Silva Souza, na época um dos líderes do ministério da Assembleia de Deus que o alcançou, o ex-detento agora é coordenador da casa de reabilitação dirigida pela Assembleia de Deus em Itumbiara (GO), a qual o pastor Marcelo preside. Essa é a história do milagre de salvação e transformação de Cristo na vida de um homem, cujo testemunho alcançou também a muitos crentes.

O pastor Washington conta que tudo começou quando tinha apenas seis anos de idade: “Eu estava na minha casa e vi uma criatura maligna muito horrível vindo na minha direção. Até que ela sentou-se sobre mim e a partir dali era como se eu soubesse que eu pertencia a ela. Dali por diante, mesmo ainda bem pequeno, comecei a ir para terreiros de macumba, me envolver com o satanismo, a magia negra, o catimbó, candomblé, etc. Eu mesmo tive dois terreiros, incorporava entidades, fazia trabalhos para pessoas ricas e nobres da sociedade, vivia um engano terrível”, lamenta o pastor.

Ainda segundo o pernambucano, nascido em Caruaru, que veio adolescente para o Rio de Janeiro, ao seguir esse caminho de trevas, um abismo foi levando a outro abismo até que em 1992 ele foi preso. E foi na cadeia, despido de suas vaidades, longe do prestígio, do dinheiro, dos falsos amigos, completamente sozinho é que começou a questionar a sua religião. Conforme recorda, ele ficou muito deprimido sem perspectiva de sair da cadeia por 38 anos, sem esperança e sem Deus, ele tentou se matar duas vezes. Chegou a utilizar a sua habilidade em construir explosivos para morrer levando muitos consigo. Mas enquanto isso, os cristãos ali dentro, mesmo perseguidos por ele, o procuravam.

“O pastor Marcelo e outros irmãos que faziam trabalho de visitação começaram a ir atrás de mim lá dentro. Eles me procuravam ao ponto de eu mesmo me trancar na cela e me esconder quando via um crente. E eles diziam: ‘Eu sei que você está aí dentro. Jesus te ama!’”, recorda com humor e gratidão.

Até que um dia teve sua primeira experiência com Cristo. “Comecei a refletir muito. O comércio onde Satanás era meu sócio e eu levei anos para construir, perdi em horas. Ali no presídio, sozinho, eu vi que tudo antes era ilusão. Tive uma grande crise de choro. Tirei as ‘guias’ que eu carregava no pescoço e fui para um lugar chamado ‘solar’, onde o sol batia de manhã, levando uma pequena Bíblia que os irmãos deixavam lá. Ao abri-la, eu vi o meu corpo brilhante, todo prateado embaixo do sol. Aquilo me deu um temor muito grande. Na mesma semana tive uma visão: eu estava todo vestido de azul pregando em um púlpito. Relutei para acreditar que aquilo tudo era Deus falando comigo. E na semana seguinte, ouvi uma voz muito forte: – Homem, eis que farei de ti um pastor”, emociona-se ao relatar.

E finalmente no dia 14 de junho de 1998, ele se rendeu a Cristo. Sabia que na cadeia havia um cristão e pela primeira vez era ele quem procurava. Com sua ajuda, orou aceitando a Cristo e no domingo já estava com ele no culto.

“Sentei no último banco morrendo de vergonha, porque perseguia e falava mal de todos os crentes ali. E agora lá estava eu no meio deles. Fiz ali minha confissão de fé, mas ainda era muito ignorante. Lembro que certa vez me chamaram de ‘noiva de Cristo’ e eu pensei que o cara estava me chamando de homossexual, comecei a bater nele até me explicarem o que significava e morri de vergonha. Percebi que precisava conhecer mais a Bíblia”.

Ele acrescenta ainda que por seis meses frequentou a igreja endemoniado. Até que durante uma oração, Deus deu discernimento ao pastor dirigente do trabalho, a orar pela libertação dele.

“Foi então que a última casta de demônios foi tirada. Eu me vi sentado no chão, como se tivesse saído quatro elefantes de cima de mim. E vi Satanás na minha frente. Ele perguntou: ‘O que você está fazendo aí com os crentes?’ E eu respondi sorrindo: ‘Satanás, hoje eu pertenço a Cristo. Você está repreendido em nome de Jesus!’ e ele foi embora. Eu verdadeiramente estava livre”, glorifica o pastor.

A partir daí, houve uma grande evolução em sua vida. Com a ajuda dos crentes, ele largou o cigarro, os maus hábitos e foi tendo o seu caráter totalmente transformado.

“A Bíblia diz: ‘E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará’. A libertação vem pelo conhecimento da Palavra, Jesus é a Palavra! Então, eu comecei a bater de frente com a minha ignorância e desejar conhecer as Sagradas Escrituras. Passei a escrever para várias igrejas para que trouxessem um seminário bíblico para o presídio.. E depois de muitos ‘nãos’, a Assembleia de Deus Ministério de Todos os Santos, ouviu o meu clamor”. Em 2001, com autorização do Presídio Lemos de Brito, foi aberta uma classe de seminário teológico para detentos. Segundo conta feliz, sua turma foi uma das primeiras do país a se graduar em teologia dentro do cárcere.

Convertido ao Senhor Jesus Cristo, nosso irmão ainda passou 10 anos na prisão, dando muitos frutos e ganhando muitas almas para Jesus lá dentro, inclusive como dirigente da congregação local. Através da revista Seara da CPAD, na seção de cartas, ele conheceu sua futura esposa. Por anos namoraram por cartas, jejum e oração até que casou-se com a assembleiana de Alagoas, mulher de fé, Ana Cristina Ferreira. Também ainda na cadeia, tiveram seu filho Natã, hoje com 10 anos. Eles estavam dispostos a esperar sua soltura por mais 26 anos, até que em 2008, por bom comportamento, sua pena foi reduzida e pela graça de Deus, ele conseguiu responder à justiça em liberdade, passando a fazer a obra do Senhor também aqui fora.

Seu discipulador e hoje amigo, pastor Marcelo Silva – que há 20 anos dedica a vida a esse trabalho de evangelismo no presídio – conta que Washington deu muito trabalho, era um diamante bruto que precisava ser lapidado. Mas também testifica de que valeu a pena, pois sua transformação foi genuína e sua vida vem sendo inteiramente devotada ao Senhor, há mais de 15 anos.

Por, Mensageiro da Paz.

Uma resposta para Ex-satanista se converte na prisão e ganha muitas almas para Jesus

  1. Tácito Chagas Ribeiro disse:

    Boa noite, meu nome é Tácito Chagas Ribeiro. Fui Inspetor Penitenciário na unidade onde o Pastor Washington estava preso. Eu era o chefe dele. Eu era responsável pela seção de educação da penitenciária, de onde eu coordenava diversas atividades culturais, educacionais e profissionalizantes e o Washington era o meu braço direito. Um grande amigo de quem tenho muitas saudades. Naquela época eu fumava, bebia, falava muito palavrão, e não queria saber de Jesus. Se esse comentário conseguir chegar até ele, diga que hoje eu sou convertido para honra, glória e exaltação do nome do Senhor Jesus! Congrego na IURD da cidade de Iguaba Grande, aonde moro atualmente. Acompanhei de perto a sua trajetória… Eu tenho muito orgulho dele!Vou colocar aqui um vídeo onde o Washington aparece tocando pistom em uma das atividades da penitenciária que era o conjunto musical do qual ele fazia parte.
    https://www.youtube.com/watch?v=hTRZaD_aZr8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *