Onde estava Lucas em Atos 16.1-8?

Em Atos 16.10-17, Lucas parece estar presente, mas antes, nos versículos 1 a 8, e durante a prisão de Paulo e Silas, ausente, voltando a reaparecer no capítulo 21. Onde estaria Lucas nas passagens onde se nota sua ausência?

Onde estava Lucas em Atos 16.1-8A questão desta interrogação, ou seja, onde estava Lucas, é que pouco se sabe a respeito de sua vida, pois centrou-se nos acontecimentos das atividades de Paulo.

Este óbice de detalhes leva-nos a pensar também porque não temos informações profundas sobre os longos anos de Adão e Eva, no Jardim do Éden; o que eles fizeram, o que conversavam, como foi a criação dos filhos, a linguagem e demais coisas. Quanto ao próprio Jesus, com 12 anos até aos 30 anos, o que fez diariamente? Pode-se apenas conjecturar, e estamos, mesmo assim, sujeitos a erros de interpretação e afirmação.

Na verdade, não há registro de como foi a conversão de Lucas, senão que era de Antioquia, de nascimento judaico, médico bem sucedido e que não foi testemunha ocular dos acontecimentos que narra em seu Evangelho, mas que, provavelmente, isso não exclua o ter estado com os que seguiam a Jesus Cristo. Supõe-se que quando Jesus morreu, Lucas era muito criança. Lucas tornou-se discípulo dos apóstolos e mais tarde seguiu a Paulo até o seu martírio.

A verdade é que, por mais sensacionais que sejam as informações contidas nos Atos acerca da carreira de Paulo, o arquivo é muito insuficiente e muito imperfeito. A sua vida foi muitíssimo mais cheia de aventuras, de trabalhos e de sofrimentos pela causa de Cristo do que o que se contém na narrativa de Lucas.

O plano de Atos dos Apóstolos é expor apenas o que de mais original e distintivo ocorreu em cada viagem, passando em claro, por exemplo, todas as idas de Paulo às localidades que já tinha visitado e detalhes nesses outros eventos.

Sem se importar consigo mesmo, Lucas ora era citado por Paulo como médico amado, companheiro, colaborador e outras referências. Ora usava a palavra “nós”, “nos”, primeira pessoa do plural, quando achou que devia registrar que estava presente. Ora narrava os termos na terceira pessoa do plural, ou seja, “davam”, “chegavam”.

Em Atos 16.10-17, escreve estando presente: “procuramos”, “o Senhor nos chamava”, “para lhes anunciarmos”, “fomos correndo”, “e estivemos” e outras. Não fazia parte do desígnio de Lucas magnificar a figura do herói que estava pintando, e sua breve e modesta narrativa está, mesmo, muito abaixo da realidade; e depois, de termos lido as poucas e simples palavras que ele condensa a história dum caso passado durante meses ou anos, a nossa imaginação começa a trabalhar, preenchendo o esboço com canseiras e sofrimentos iguais pelo menos, àqueles cuja memória ele preservou.

Ao que parece, Lucas se juntou a Paulo em Trôade (Atos 16.10) e ficou com ele até à Macedônia; depois viajou com o mesmo apóstolo até Filipos, onde tinha ligações espirituais, ficando, provavelmente, ali por certo tempo e dirigindo-se a Jerusalém.

Lucas tinha um papel importante nas decisões, dando provas de que não era um neo-converso, nem de uma pessoa que se conhecera ultimamente. Isso é atestado por Paulo ter-lhe como companheiro de viagem.

Parece que a cidade de Filipos tenha se tornado centro de atividades cristãs, e que Lucas talvez tenha ficado naquela região para tomar conta do trabalho ali. É bem provável que Lucas tenha se tornado o principal líder da igreja de Filipos, e exerceu alguma influência sobre a igreja dali. Uma das razões pode ter sido a igreja mostrar-se generosa para com as necessidades financeiras de Paulo (Filipenses 4.15, 16).

Então, Lucas andou ou ficou durante os períodos de tempo não cobertos pelas chamadas “seções nos”. É possível que tenha permanecido em Filipos por seis anos e depois juntou-se a Paulo (Atos 16.10; 16.40; 20.6). Juntos foram para Jerusalém onde foi preso e mandado para Roma, cumprindo prisão domiciliar, e, sendo solto ainda visitou muitos lugares. Lucas não registra o martírio de Paulo, terminando o livro de Atos dos Apóstolos com sua segunda prisão.

Bibliografia

STLAKER,  James. A vida de Paulo, Livraria Evangélica, Lisboa, 1925, p. 166.
CARR, Wesley Moore. Paulo. Livraria Liberdade. SP. 1939, p. 222.
CHAMPLIN, Russel Norman. O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo. A Sociedade Religiosa A Voz Bíblica. Vol. III (Atos/Romanos).

Por, Nemuel Kessler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *