Profecias destacam ação do mundo islâmico no final dos tempos

Ameaças e ataques a Israel, e genocídio promovido no Iraque e na Síria pelo grupo Estado Islâmico despertam a atenção para as profecias

Profecias destacam ação do mundo islâmico no final dos temposHá cinco meses, dois assuntos monopolizaram a imprensa internacional: as ondas de ataque do grupo terrorista islâmico Hamas contra Israel e a resposta israelense, e a crueldade de um grupo de radicais islâmicos que está promovendo um genocídio religioso no Iraque e na Síria, tendo como principais vítimas cristãos. Este grupo chama-se Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), mas é conhecido também como ISIS ou ISIL em suas siglas em inglês. ISIS é a abreviatura de “Islamic State in Iraq and Syria” (Estado Islâmico no Iraque e Síria) e ISIL é a abreviatura de “Islamic State in Iraq and the Levant” (Estado Islâmico no Iraque e no Levante). O grupo é formado principalmente por ex-membros da Al Qaeda que participaram ativamente na guerra civil na Síria e nos atentados no Iraque para desestabilizar o governo local.

Em 29 de junho deste ano, o grupo chamou a atenção do mundo pela primeira vez ao anunciar a criação de um Califado Islâmico nas regiões do sul da Síria e norte do Iraque. Nesses lugares, eles impõem o terror, matando todos aqueles que não aceitam se converter ao islamismo. Fortemente armados, e contando em suas fileiras até mesmo com jovens islâmicos ocidentais, em poucos meses de atuação, o Estado Islâmico já matou milhares de pessoas e sequestrou outros milhares.

Genocídio

É verdade que, geralmente, a imprensa internacional não costuma dar destaque à perseguição a cristãos, mas acabou tendo de fazê-lo, devido à estratégia usada pelos membros do Estado Islâmico para se divulgarem. A crueldade dos militantes do grupo exibidos pelos próprios em vídeos na internet, gerando indignação em todo o planeta. As especialidades do grupo são decapitações e crucificações. Recentemente, para chamar ainda mais a atenção da imprensa internacional, eles começaram a decapitar jornalistas em vídeos. Ao todo, três jornalistas norte-americanos já tiveram suas mortes divulgadas em vídeos na internet, chocando o mundo.

No dia 25 de agosto, a ONU emitiu um comunicado no qual os integrantes do ISIS são denunciados por promover uma “limpeza étnica e religiosa” tanto no Iraque como na Síria. A entidade também pediu na ocasião a interferência da comunidade internacional no caso. “O Estado Islâmico e os grupos armados associados cometem a cada dia graves e horríveis violações dos direitos humanos. Atacam sistematicamente homens, mulheres e crianças em função de sua origem étnica, religiosa ou sectária, e realizam uma limpeza étnica e religiosa sem piedade nas regiões que controlam”, diz o texto assinado pela alta comissária da ONU para direitos humanos, Navi Pillay.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, na primeira quinzena de agosto os fanáticos sequestraram mais de 3 mil mulheres e meninas, que estão sendo usadas como escravas sexuais. A ONU também denunciou que as crianças são mantidas prisioneiras para servirem de escudo para os combatentes adultos, como doadoras de sangue aos militantes feridos e como agentes em ataques suicidas. O objetivo dos radicais é  construir um grande Estado islâmico sunita sob um regime radical. Em um primeiro momento, o foco é controlar territórios na Síria e no Iraque, mas líderes do EIIL já assinalaram a possibilidade de avançar para outros países como Jordânia e Arábia Saudita. O Estado Islâmico já está presente em cerca de 25% da Síria (45 mil km²) e em aproximadamente 40% do Iraque (170 mil km²), um total de 215 mil km², o que equivale quase ao Reino Unido (237 mil km²). Entretanto, o grupo controla apenas parte desses territórios.

Os inimigos do grupo são Israel e os países da região que são seculares e quem os apoia. Em primeiro lugar, o governo da Síria, que é secular, e do Iraque, que é do grupo rival xiita. Os Estados Unidos se tornaram um alvo do grupo, pois combatem o EI com ataques aéreos desde o começo de agosto. Em 4 de setembro, o grupo ameaçou destronar o presidente russo Vladimir Putin por apoiar o regime sírio.

Poder financeiro

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) avalia que há mais de 50 mil combatentes do grupo na Síria. No Iraque, segundo Ahmad al-Sharif, professor de Ciência Política da Universidade de Bagdá, o EI possui de 8 mil à 10 mil combatentes.

O Estado Islâmico chama a atenção também pelo seu poder financeiro. O grupo já comanda um grande território que tem ricas fontes de recursos, como petróleo. Antes de se chamar Estado Islâmico do Iraque do Levante, o grupo recebeu apoio financeiro para entrar na guerra civil contra Bashar Al-assad. Atualmente, porém, ele se tornou autossuficiente. As principais fontes dos recursos do Ei são a cobrança de impostos nas áreas que domina, o roubo de bancos quando tomam uma cidade (o grupo roubou 429 milhões de dólares do banco central da cidade de Mossud), contrabando de petróleo e cobrança de resgates por cidadãos de outros países.

O presidente do governo regional curdo, Massoud Barzani, cujo exército tenta expulsar os jihajistas do norte do Iraque, advertiu, em entrevista à BBC de Londres em 12 de agosto, que não se deve subestimar o poder do Estado Islâmico. “Não estamos combatendo uma organização terrorista”, disse Barzani. No mesmo dia parlamentares norte-americanos expressaram temores sobre a milícia. “A cada dia que passa, o ISIS levanta seu califado e se converte em uma ameaça direta aos Estados Unidos”, disse o presidente do subcomitê Antiterrorismo do Congresso norte-americano, o republicano Peter King. “Agora eles são mais poderosos do que era a Al Qaeda durante os atentados de 11 de setembro de 2001”, completou.

O temor maior do governo dos Estados Unidos é que o grupo consiga formar um Estado próprio no coração do Oriente Médio, que serviria de plataforma de lançamento de ataques contra os Estados Unidos – semelhante ao que foi feito com o Afeganistão pelo Taleban na década passada.

O que levou a isso?

Em uma coletiva de imprensa em 2007, o então presidente dos Estados Unidos, George Bush, anunciava o grave erro que seria retirar as tropas norte-americanas do Iraque antes do tempo. Bush disse na ocasião que as chances de surgir no Iraque uma estrutura ainda mais forte do que aquela que a Al Qaeda tinha no Afeganistão com o Taleban seriam enormes se as tropas saíssem logo, como exigiam os políticos do Partido Democratas e a maior parte da imprensa norte-americana e do mundo.

Disse Bush à época: “Eu sei que muitos em Washington gostariam que começássemos a sair do Iraque agora. Mas começar a retirada antes que nossos comandantes nos digam que estamos prontos seria perigoso para o Iraque, para a região e para os Estados Unidos. Significaria entregar o futuro do Iraque à Al Qaeda. Isso significaria que estaríamos aumentando o risco de assassinatos em massa em uma escala horrível. Isso significaria que permitiríamos que os terroristas estabelecessem um refúgio seguro no Iraque para substituir o que eles perderam no Afeganistão. Isso significaria aumentar a probabilidade de que as tropas americanas teriam de retornar em alguma data posterior para confrontar um inimigo que é ainda mais perigoso”, concluiu “profeticamente” o então presidente Bush.

A ironia das ironias é que, logo que começaram os protestos da “Primavera Árabe”, boa parte do Ocidente, inclusive o atual governo dos Estados Unidos, saudou equivocadamente aqueles protestos como se fossem realmente por democracia, quando pesquisas mostravam que a maioria das pessoas ligadas aos protestos não queria democracia alguma, e muitos deles ainda eram ligados a grupos radicais como Al Qaeda e a Irmandade Muçulmana de origem egípcia, fundadora do Hamas na Palestina e com influência em todo o Oriente Médio. Hoje, os radicais já tomaram a Líbia, parte da Síria e parte do Iraque, e chegaram a subir ao poder no Egito, mas foram retirados há poucos meses do poder.

Como o jornal Mensageiro da Paz alertou em várias matérias à época dos protestos no Oriente Médio, as ditaduras na Líbia, Síria, Egito e outros países daquelas região eram terríveis, mas os grupos que representavam a maioria dos manifestantes que objetivavam derrubar esse ditadores era, infelizmente, muito pior e radical do que eles. O próprio governo de Israel alertou os países do Ocidente e a imprensa internacional à época, mas a minoria deu ouvidos. O resultado está ai hoje.

O que diz a Bíblia?

É natural que cada vez mais as ações no mundo islâmico chamem a atenção do mundo. Há também a preocupação crescente na Europa com a islamização do continente e o fato de Israel estar sempre às voltas com a oposição dos vizinhos. Israel representa um milésimo da população mundial, porém um terço de todas as atividades das Nações Unidas desde a sua fundação até hoje foram voltadas para tratar de assuntos relacionados a Israel. Ou seja, a nação judaica é o maior “peso” das nações nos dias de hoje, como profetizado pelo profeta Zacarias (Zacarias 12.2, 3). Zacarias também profetizou que “os líderes de Judá” – isto é, as forças políticas e militares de Israel – seriam fortes suficientemente para resistir à oposição dos povos vizinhos contra o povo judeu (Zacarias 12.6, 8). Essa força foi mostrada, para surpresa do mundo, na Guerra dos Seis Dias (1967) e na Guerra do Yom Kuppur (1973).

Esse maior destaque ao mundo islâmico na imprensa internacional nos últimos anos e essas ameaças e ataques contra Israel por parte dos radicais muçulmanos apontam para as profecias bíblicas, que frisam o papel de destaque que as nações islâmicas terão no final dos tempos, mas que muitas vezes é esquecido pelo estudante da Bíblia.

“É importante conhecermos a mentalidade muçulmana sobre o final dos tempos. Em primeiro lugar, há um monte de nações islâmicas que estão empenhadas em estabelecer o sistema islâmico em escala mundial: Irã, Sudão, Somália, palestinos etc. Em segundo lugar, na escatologia islâmica, encontramos o profeta Maomé afirmando que ‘o Dia do Julgamento não deverá acontecer até que as tribos do islã derrotem as tribos de Israel em Jerusalém e nas nações vizinhas’. E ele diz ainda: ‘As árvores e as pedras clamarão: há um judeu se escondendo atrás de mim! Venha, ó muçulmano, venha matá-lo!. Esta é a solução para o ‘problema judaico’ pela visão escatológica muçulmana: o mundo que conhecemos vai acabar e outro virá quando as nações islâmicas ao redor de Israel atacarem Israel e basicamente destruírem todos os homens e tomarem suas mulheres como concubinas”, explica Walid Shoebat, um palestino norte-americano convertido ao cristianismo que professa a fé evangélica e é um dos principais nomes no mundo no estudo bíblico sobre as profecias bíblicas relacionadas ao mundo islâmico.

Antes de se converter a Cristo, Shoebat foi um terrorista islâmico membro da Organização pela Libertação da Palestina (OLP), tendo participado de atentados terroristas e sido preso pela polícia israelense. Nascido na cidade de Belém, em Israel, filho de um palestino com uma norte-americana,, Shoebat se converteria a Cristo em 1994, ano em que passou a viver definitivamente nos Estados Unidos, onde chegou a estudar nos anos 70. Hoje, ele é um comentarista convidado com frequência para falar sobre terrorismo islâmico, Palestina e mundo muçulmano em programas jornalísticos na CNN e Fox News nos Estados Unidos, e na BBC de Londres.

“Quando eu li a Bíblia pela primeira vez em 1993, fiquei impressionado ao descobrir as semelhanças entre a escatologia islâmica e a bíblica, que diferem só na conclusão dos fatos futuros. Fiquei impressionado com o que encontrei no livro do profeta Zacarias, mas que está também em outros livros proféticos do Antigo Testamento. Os capítulos 12 e 14 do livro do profeta Zacarias falam de Deus fazendo Jerusalém se tornar ‘uma pedra pesada para todas as nações ao redor’, e que esses inimigos de Israel ao redor saqueariam suas casas e forçariam suas mulheres. E na continuação dessa história, Zacarias profetiza a vitória de Israel sobre os seus inimigos no final dos tempos, a qual se dará através do Messias, que virá ajudar o seu povo. O texto fala que as nações vizinhas de Israel, que se levantam contra ela nessa guerra, serão destruídas, e todas essas nações mencionadas são nações islâmicas. O detalhe é que o Islamismo também fala de uma guerra dos povos islâmicos contra Israel no final dos tempos, só que Maomé escreveu que o resultado dessa batalha será a vitória do islã. Se você tentar traçar um paralelo entre as profecias do alcorão e da Bíblia, encontrará paralelos impressionantes. São as mesmas histórias, só que com o resultado da batalha sendo a vitória do Islã”, explica Shoebat.

“Fiquei chocado, por exemplo, quando li Zacarias, Amós e Joel. De fato, o capítulo 3 de Joel diz claramente a respeito do julgamento das nações que estão indo contra Israel. Deus diz que ajuntará ‘todas as nações no vale de Jozafá’ e ele entrará ‘em juízo contra elas’. É o Messias que os julgará, vindo ao socorro de Israel. E Ele fala que fará isso ‘por causa do meu povo e da minha herança, Israel, a quem eles espalharam entre as nações, repartindo a minha terra’. O texto fala ‘Repartindo a minha terra’, e isso nos remete à luta muçulmana pelo fim do Estado de Israel e pela criação de um Estado palestino. A escatologia islâmica afirma que essa batalha ocorrerá e que cada muçulmano deve participar dela ‘mesmo que tenham que rastejar na neve’. Ora, ao mencionar essas nações que se levantarão contra Israel no final dos tempos, a Bíblia apresenta nações islâmicas”, ressalta Shoebar, que lembra ainda que todos os teólogos protestantes até o século 19, como Martinho Lutero, João Calvino e Robert Anderson (1841-1918), que foi quem fez o primeiro grande estudo sobre as 70 semanas de Daniel, afirmavam à luz da Bíblia que os povos da besta que se levantariam contra Israel no fim dos tempos seriam do mundo islâmico.

Shoebar lembra também que a escatologia islâmica fala de um governo mundial (o “Califado Universal”), de um governante mundial chamado Mahdi, que estabelecerá 7 anos de paz (como o Anticristo na Bíblia); e até da marca que os seguidores de Mahdi terão em suas frontes, lembrando a marca da besta mencionada no Apocalipse. Seria mera coincidência?

Por, Mensageiro da Paz.

22 Respostas para Profecias destacam ação do mundo islâmico no final dos tempos

  1. antonio disse:

    Só uma Observação,será coincidência a abreviatura de ISIS,para o estado islâmico, Isis era uuma Deusa Egipcia se não me Engano….

    • Matheus disse:

      Por outro lado, ISIS é uma sigla que os Ingleses usam para definir os Jihadistas membros desse grupo.
      Ao traduzir-se seria algo como Estado Islamico do Iraque e da Siria. EIIS

  2. Juliana disse:

    Nossa realmente autos esclarecimentos.

  3. ELAINE disse:

    Puxa vida, muita coisa que eu não sabia!
    Muito bom esse post.

  4. Hemerson Oliveira disse:

    O futuro a Deus pertence e “o que está revelado pertence a nós mas as coisas ocultas pertencem a Deus” como dizem As Escrituras. Sou crente, conheço a Palavra e creio nela. De fato, há semelhanças opostas (e convergentes) entre as visões apocalípticas da Bíblia e do Corão mas é um mistério. O Anticristo deverá ser reconhecido como o Messias aguardado pelos judeus (que rejeitaram o Cristo[Jesus]) e fará acordo de paz com eles até metade dos 7 anos (cumprindo o que diz em Daniel 11:23 e 30). Como o faria se fosse o líder de uma coalizão mulçumana contra Israel? Jesus disse aos judeus: “eu vim em nome do meu Pai (Deus) e não me aceitais. Outro, porém, virá em seu próprio nome e a esse aceitareis”). O Estado Islâmico não tem nenhum país aliado e é inimigo do mundo. Mas, o Anticristo do Apocalipse será tido por seu “Salvador”. Talvez, as visões bíblica e corânica se encaixem de outra maneira: O anticristo corânico seria o Dajjal que combateria o Islã e “quase o derrotaria”. Talvez, o derrote por completo, elimine o Estado Islâmico e se torne o herói que a Casa Branca e o resto do mundo espera surgir em meio à insegurança mundial instalada pelo terrorismo. Talvez, o Anticristo mulçumano seja o mesmo cristão! Inimigo do Islã [terrorismo, Est.Isla.] e amigo e promotor da Paz Mundial. Nesse sentido, o Dajjal deles é que seria a Besta do Apocalipse. A resposta certa virá com o tempo e essa história já está sendo escrita diante de nós.

  5. Eduardo disse:

    Muito Bom, só fica a duvida, em nossas mentes quem seria esse anticristo que iria combater o EI. Mas a biblia é e sempre será completa, e nos diz que o dia da volta de cristo será como relampago, e não nos compete, ficar observando e aguardando o dia final, somente crer!

  6. Emerson Montes disse:

    Sempre q vejo artigos como esse, me convenço que o mundo esta perdido com esses falsos instrutores.

    Guias de cegos, quem acredita nisso e quem escreve cairão na mesma cova!

  7. Be disse:

    Sim,eu sabia desses trechos bíblicos e sinto que isso tudo está próximo, pena que Brasil se acha inatingível, o que é lamentável, e pena que o povo se esqueceu de Deus para olhar somente o material,a paz é algo espiritual,e disso muita gente não se lembra.

  8. Prss disse:

    O EI ja espalhou seus homens pelo mundo todo e vai fazer terrorismo no mundo todo como fez na França(inclusive no Brasil também) e as nações nao vão ter controle e vão negociar com eles perguntando o que eles querem para pararem, e o EI vai pedir ISRAEL para pararem com o terroriamo, e as nações vão se juntar contra ISRAEL e Deus vai intevir dos altos céus.

  9. André disse:

    Tudo esto é bom para conhencimento, mas porque associar o estado islamico ao anticristo? quando temos os livros de Daniel e Apocalipse nos detalhando quem realmente é o representante do anticristo aquele que reinou mais de 1200 anos de dominio mundial. Porem estes conflitos claramente são profetizados tanto no antigo como o novo testamento e fazem de facto o trabalho que o anticristo quer, mas tanto a Biblia como o algurãm ou seila como se escreve, não diz que Esrael como nação ou estado islamico dentre estes à aqui o representante do anticristo? Estas batalhas fazem parte de uma agenda mundial para estabelecer uma ordem, é necessario que todos saibam o significado de segurança, para que a norma não seja só respeitada como tambem é necessaria, esta acção não será uma acção regional, é de uma dimensão mundial, logo o acto para justificar este disederato, tinha que ter uma dimensão mundial!!!! Logo leva-se o mundo à um conflito de identidade e de cultura onde um unico povo procura impor o seu estilo de vida a todos, todos que não se reverem neles é alvo a abater, este é um jogo profetizado estudem mais os dois livros citados acima terão surpresas, os jogadores estão jogando e estado islamico é uma pedra no xadres. Eles sabem que a unica força capaz de os empedir é a Russia, agora verificam como este pais esta a ser cercada, este pais é o unico que esta a impedir este decreto e Ela esta a lutar com o mundo (quando as pessoas vem fazer elogios ao o identais não tenhem noção doque desejam), talvez tambem a China, mas eles sabem que os chinezes não são muito fieis e são poucos orgulhosos.

  10. Ivani Medina disse:

    O islã é um perigoso desconhecido travestido de religião para nós. Nessa crença absurda não há separação entre religião e política porque só existe o poder religioso. Quando há algum outro, é puro fantoche. Seus milhares de atentados são tramados em mesquitas e não em ermos por grupos de marginais que se dizem religiosos. Aliás, como a imprensa tenta iludir a opinião pública. O Líder do Estado Islâmico é um religioso erudito em islã e filosofia.
    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/o-perigo-do-isl-no-brasil

  11. sheila disse:

    Oi gostei muito dos comentários não tenho muito conhecimento o apocalipse e muito difícil entender e o Daniel, os mulçumanos islâmicos pra mim é uma das bestas, porque são muito maus estão decapitando pessoas como diz no apocalipse, eles também fazem marca nas pessoas, isto é também complicado de entender a marca da besta, qualquer estudo a respeito podem mandar pro meu gmail ,obrigada, Que o senhor jesus abençoe a todos.coliseu479@gemail.com

  12. Verônika Bernike a hemorroíssa disse:

    – O Estado Islâmico vai invadir o Brasil , escravizar muitos Brasileiros , vai explodir aviões com Brasileiros dentro, vai destruir lugares públicos daqui do Brasil , vai ser um tempo de terror que já está chegando , tudo isso para que Deus venha destruir esse mundo e salvar seu povo.
    – Como está escrito na profecia o inimigo está dentro de casa, dentro das famílias e dentro das Nações.
    – O Estado Islâmico vai invadir o Brasil e tudo já está sendo planejado por Brasileiros que vivem aqui no Brasil que aderiram a esse grupo .

    • Elias Moisés de Jesus disse:

      Verônika Bernike gostei muito da sua profecia e espero que não fiquem mais esperando o armagedom em outros lugares porque toda a ultima profecia vai acontecer no Brasil.
      O Brasil é o país escolhido por Deus em que vai acontecer sua volta a terra .
      A Noiva de Deus vai nascer em Salvador-ba.

  13. anonimo disse:

    o anticristo provavelmente sera maome reencarnado pois a bíblia fala que quem tem entendimento calcule o numero da besta pois e o numero deum homem e seu numero e 666 calculando esse numero dará maome mais tem varias pessoas suspeitas por exemplo,o papa Francisco o Obama,o ex presidente da russia entre outros mais uma coisa e certa ele já esta exercendo o seu poder junto aos iluminatis e aos marconicos e muintas das pessoas não percebem isso os iluminatis acha que se esconde mais de mim nao

  14. Joao disse:

    Irmãos, o Senhor Jesus está as portAs, o mistério de DEus vai se revelar e a igreja será arrebatada,aleluia!!! Logo logo……

  15. Luis de jesus disse:

    – O Anticristo é Acm Neto e vai ser presidente do Brasil. Os Doutores da lei dizem que o Anticristo vai sair dos Eua ou da Europa ou do oriente Médio , mas na verdade o Anticristo está em salvador-ba e vai ser presidente do Brasil.
    – Na ultima profecia está escrito que quando o cetro do poder central do Brasil for para as mãos do anticristo , Deus virá com todo o seu poder para destruir esse mundo e salvar o seu povo . Isso que o Brasil está vivendo não é uma crise , é uma profecia que vai colocar o Anticristo como presidente do Brasil .
    – Como na primeira vinda de Jesus ninguem acreditou que ele era Deus na forma de homem , então cruxificaram ele e agora vai ser a mesma coisa vão procurar o Anticristo nos Eua , europa ou no oriente médio e o Anticristo está bem aqui no Brasil.

  16. Maria de Nazaré m. de Jesus disse:

    Amora Maria é uma praga que Deus já colocou entre nós para abrir o caminho da noiva de Deus , como uma Dama de Honra em um casamento,vem na frente para abrir o caminho da Noiva .
    Amora Maria tem um espirito destruidor , que traz com ela muitos castigos para os homens,principalmente descargas elétricas e incêndios ou seja só por causa da presença de Amora Maria nesse mundo , muitas pessoas vão morrer eletrocutadas e queimadas .
    Amora Maria vai ser irmã mais velha da Noiva de Deus , então se Amora Maria já nasceu em fevereiro de 2016 em Salvador-ba é sinal de que a Noiva de Deus não vai demorar para chegar e com ela a destruição desse mundo .
    A Noiva de Deus vai nascer em Salvador-ba , assim está escrito a profecia .

  17. Bruno Nunes disse:

    Eu concordo com tudo isso mas nunca q os EUA vai aceita um governo acima do seu,Se tramp nâo for o anti cristo os terroristas estão no sal.

  18. Carlos Augusto disse:

    Existe gente que não leem a Bíblia e viaja muito…! Preste a tenção na Palavra de Deus! Estude-a !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *