O “arrependimento” de Deus e do homem

O que muito ajuda o crente a entender o sentido do arrependimento de Deus é o estudo da natureza geral dEle

thumbscf40O termo arrependimento é empregado na Bíblia em relação ao homem e a Deus. Quando empregado em relação ao homem, o termo não apresenta qualquer dificuldade, mas quando aplicado em relação a Deus, apresenta dificuldades de compreensão que tem motivado muita discussão, dúvidas e confusão.

O termo arrependimento aplicado ao homem

Quando aplicado ao homem, o termo tem a ver com a mudança do homem e o seu retorno a Deus por ter pecado contra Ele; por ter procedido erradamente, transgredido a Sua lei e a Sua vontade. Segundo a Palavra de Deus, o arrependimento do homem implica não somente o fato dele cair em si, arrepender-se e sentir tristeza de coração por ter errado, mas também o seu retorno a Deus.

Uma ilustração clara disso está no que aconteceu ao transgressor que foi o Filho Pródigo, da parábola do Evangelho de Lucas (cap. 15): “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai”. E foi! Isso é arrependimento humano motivado por Deus. O pecador ao sentir tristeza e remorso pelo pecado, e, ajudado pelo Espírito Santo, decide mudar de vida, deixar o pecado e voltar-se para Deus.

Arrepender-se, em resumo, é o homem andar em sentido contrário àquele em que ele vinha.

O termo “arrependimento” aplicado a Deus

Quando em relação a Deus, o emprego do termo “arrependimento” é um antropopatismo, isto é, atribuir à divindade sentimentos e modos de ser e de agir próprios do ser humano, para que desta maneira Deus se faça entender ao homem. Isto é, Deus condescende em usar o modo humano de falar, para Ele fazer-se compreender. É uma figura de linguagem comum nas Escrituras, como muitas outras. A Bíblia é um livro divino, porém, escrito em linguagem humana.

Se o leitor não considerar o contexto bíblico geral sobre o caráter de Deus e os princípios elementares da hermenêutica sagrada imanentes no próprio texto bíblico, parece que Deus arrepende-se de modo semelhante ao homem, mas, bem sabemos que isto apenas parece. O sentido de Deus “arrepender-se” é Ele sentir pesar ante o pecaminoso e rebelde proceder do homem; e deixar de fazer o que afirmou que faria ao homem (abençoá-lo, sustar a bênção prometida ou castiga-lo), por este mudar o seu proceder, voltando-se para Deus ou deixando-O.

O que muito ajuda o crente a entender o sentido do arrependimento de Deus é o estudo da natureza geral dEle, segundo o que está revelado na Bíblia. Veja alguns exemplos a seguir.

No livro do profeta Joel 2.12-14 nós vemos que Deus arrepender-se-á, caso o povo de Israel volte atrás, deixando seus caminhos pecaminosos.  No livro de Êxodo 32.7-14, observamos Deus arrependendo-se no sentido de cancelar o castigo do povo porque um intercessor se interpôs diante Dele pelo povo.

Neste último exemplo, Deus quis destruir o povo de acordo com a Sua perfeita justiça e santidade, pois Ele é primeiramente um Deus santo e depois cancelou o castigo do povo, de acordo com a Sua misericórdia e graça, mediante a intercessão de Moisés. Justiça e misericórdia são dois dos atributos da natureza de Deus.

Deus não se arrepende como homem

Ele se arrepende no sentido exposto acima. Já o homem se arrepende porque procede mal; porque peca; porque erra, ofendendo e transgredindo a vontade de Deus. O homem se arrepende sentindo tristeza porque procede mal; mas Deus nunca! O arrependimento do homem sempre está atrelado a erro; o de Deus, jamais!

Os principais textos bíblicos sobre o suposto arrependimento de Deus

– Gênesis 6.6: “Então se arrependeu Deus de ter feito o homem sobre a terra, e isso lhe pesou o coração”.

– Números 23.19: “Deus não é homem, para que minta; nem filhos do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo Ele prometido, não o fará? Ou tendo falado, não cumprirá?”

– 1 Samuel 2.30: “Portanto, diz o Senhor Deus de Israel: na verdade dissera eu que a tua casa e a casa de teu pai andariam diante de mim perpetuamente; porém agora diz o Senhor: longe de mim tal coisa, porque aos que me honram, eu honrarei, mas aos que me desprezam, serão desmerecidos”.

– 1 Samuel 5.11: “Arrependo-me de haver constituído rei a Saul; porquanto deixou de me seguir, e não executou as minhas palavras. Então Samuel se contristou, e toda a noite clamou ao Senhor”.

– 1 Samuel 15.29: “Também a Glória de Israel não mente nem se arrepende; porquanto não é homem, para que se arrependa”.

– Salmo 135.14: “Pois o Senhor julgará o seu povo, e se arrependerá em atenção aos seus servos”.

– Jeremias 18.8-10: “Se a tal nação se converter da maldade contra a qual falei, também eu me arrependerei do mal que eu possa fazer-lhe. E no momento em que eu falar acerca de uma nação ou de um reino, para o edificar e plantar, se ela fizer o que é mal perante mim, e não der ouvido à minha voz, então me arrependerei do bem que houvera dito lhe faria”.

– Jeremias 26.3: “Bem pode ser que ouçam, e se convertam cada um do seu mal caminho; então me arrependerei do mal que intento fazer-lhes por causa da maldade das suas ações”.

– Jeremias 26.13: “Agora, pois, emendai os vossos caminhos e as vossas ações, e ouvi a voz do Senhor vossos Deus; então se arrependerá o Senhor do mal que falou contra vós outros”.

– Jeremias 15.6: “Tu me rejeitaste, diz o Senhor, voltaste para traz; por isso levantarei a minha mão contra ti e te destruirei; estou cansado de te ter compaixão”.

– Ezequiel 20.21, 22: “Mas também os filhos se rebelaram contra mim; não andaram nos meus estatutos nem guardaram as minhas ordenanças para as praticarem, pelas quais o homem viverá, se as cumprir; profanaram eles os meus sábados; por isso eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir contra eles a minha ira no deserto. Todavia retive a minha mão, e procedi por amor do meu nome, para que não fosse profanado à vista das nações, a cujos olhos os fiz sair”.

– Jonas 3.10: “Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez”.

– Zacarias 8.14: “Porque assim diz o Senhor dos Exércitos: como pensei fazer-lhes mal, quando vossos pais me provocaram a ira, diz o Senhor dos Exércitos, e não me arrependi”.

– Joel 2.13: “Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque Ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grandioso em benignidade, e se arrepende do mal” (Nesta passagem o “mal” refere-se à comoção da natureza, e não ao mal no sentido moral).

Outros exemplos de “arrependimento” de Deus, apesar de não aparecer o termo arrependimento

Deus revogando as Suas leis: no livro de êxodo 13.2, 12-15, Deus reservou e separou para Si os primogênitos de Israel, porém mais tarde Ele mesmo tomou os levitas em lugar dos primogênitos (Êxodo 34.19, 20; Levítico 27.26, 27; Números 3.12, 13, 41, 45; 8.16-18; 18.15-17).

A razão desta mudança do procedimento de Deus foi a fidelidade demonstrada por Levi no caso da clamorosa idolatria e orgia carnal de Israel, quando o povo desviou-se e adorou o bezerro de ouro (Êxodo 32.26-29; Deuteronômio 33.9).

Deus fazendo concessões sem transigir quanto ao Seu caráter santo e perfeito

1)      O caso do pão sagrado do Tabernáculo, que só aos sacerdotes era permitido comer (Mateus 12.1-8; 1 Samuel 21.36). Os estranhos que comessem daquele pão morreriam; no entanto Davi e seus homens comeram e não morreram.

2)      O caso do tributo sagrado do Templo (Mateus 1724-27). O Templo era a casa de Deus, o Senhor de todas as coisas. Ora, Jesus sendo o Filho de Deus, por direito estava isento de pagamento daquele tributo sobre o Templo; entretanto, para que os circunstantes não se escandalizassem (e também para fechar-lhes a boca), Jesus pagou de boa vontade a quantia.

É pena que tantos crentes hoje são tão exigentes com coisas – às vezes mínimas – de que eles podiam abrir mão, mas não abrem, inclusive em questões de seus direitos – que muitas vezes não são direito mesmo, e sim puro humanismo, em que Deus é deixado fora do contexto. Os tais devem aprender aqui a lição ensinada por Jesus.

Portanto, o termo arrependimento é na Bíblia aplicado ao homem e a Deus, mas com sentidos diferentes.

Por, Antonio Gilberto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *