Arquivos da Categoria: Respostas

Diferença na inscrição sobre a cruz

Por que cada Evangelho traz uma inscrição diferente da acusação escrita por Pilatos contra Jesus colocada na cruz?

Diferença na inscrição sobre a cruzA língua do povo de Israel nos dias do ministério terreno de Jesus era o aramaico, o grego era o idioma internacional, o hebraico era usado pela elite da Judeia e o latim a língua dos invasores. O presente estudo analisa o contexto dessas línguas.

O aramaico era a língua oficial de Babilônia (Daniel 2.4) e veio a ser a língua franca do Oriente Médio desde a ascensão do império de Nabucodonosor até o advento de Alexandre, o Grande. No hebraico foi escrito originalmente o Antigo Testamento, exceto Jeremias 10.11 e duas palavras em Gênesis 31.47, Esdras 4.8-6.18; 7.12-26; Daniel 2.4-7.28, escritos em aramaico. As gerações de judeus que regressaram do exílio babilônico falavam o aramaico como língua materna.

Com que espada Davi matou Golias?

1 Samuel 17.50 diz que Davi matou Golias sem que tivesse uma espada na mão. Mas no versículo 51 diz que ele correu “e pôs-se em pé sobre o filisteu, e tomou a sua espada, e tirou-a da bainha; e o matou”. Como entender isso?

Com que espada Davi matou GoliasPara a resposta desta questão, é importante recorrermos a alguns outros textos bíblicos. Então, vejamos. Quando Davi se propôs lutar contra o gigante, uma das primeiras coisas que o rei Saul fez foi providenciar para ele uma armadura completa. É o que lemos em 1 Samuel 17.38-40. “E Saul vestiu a Davi de suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze; e o vestiu de uma couraça. E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes, e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si”.

Sendo assim, em primeiro momento, é possível afirmar que Davi não portava espada quando saiu para lutar contra Golias. As armas que tinha em mãos são as que vemos no registro de 1 Samuel 17.38-41. “E tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão, e lançou mão da sua funda; e foi aproximando-se do filisteu”. Ele não tinha espada.

Israel e Judá tiveram reis crianças?

Como entender a tão pouca idade com que alguns reis de Israel e Judá subiam ao trono? Um exemplo é Joás, que reinou aos 7 anos (2 Reis 11.21).

Israel e Judá tiveram reis criançasAo terminar a época dos juízes, um período de muita turbulência que durou mais de 300 anos, Israel pede que lhes seja dado um rei como as demais nações tinham. Então, começa em Israel o período da monarquia com os três primeiros reis: Saul, Davi e Salomão, também conhecido como o período do reino unido. Com a morte de Salomão, o reino se divide em reino do norte com sua capital em Samaria, chamado de Israel; e reino do sul com sua capital em Jerusalém, chamado de Judá (1 Reis 12. 15-17). Três elementos eram de fundamental importância na governança monárquica de Israel: o rei, o sacerdote, e o profeta. O rei era responsável pelo governo e a defesa da nação contra os inimigos e invasores estrangeiros; o sacerdote era responsável por ensinar ao povo a Lei do Senhor e interceder pelo povo na presença de Deus; já o profeta, tinha a árdua missão de entregar na íntegra a mensagem de Deus a quem quer que fosse.

As consequências do pecado de Davi

Por que as consequências do pecado de Davi foram tão severas?

As consequências do pecado de DaviQuando o profeta Natã foi a Davi, por ordem de Deus, a fim de confrontá-lo quanto ao seu pecado, ele declara o pecado: adultério e assassinato. Quando o profeta diz: “A Urias, o heteu, feriste à espada, e a sua mulher tomaste por tua mulher; e a ele mataste com a espada dos filhos de Amom” (2 Samuel 12.9), isto fica bem claro: deitar com uma mulher casada, adultério; matar um homem de forma premeditada, assassinato. E a punição para ambos os pecados era a morte.

O adultério é um pecado contra o cônjuge e contra Deus, que afirmou claramente: “Não adulterarás” (Êxodo 20.14). Através do adultério o homem quebra a aliança conjugal que fez perante Deus (Malaquias 2.14). Por isto, o adultério é símbolo da idolatria; é o abandono daquele com quem se tem uma aliança, para prostituir-se com outro (Jeremias 3.6-10). O homem que tivesse relações sexuais com a esposa de outro deveria ser punido com a pena de morte: “morrerá o adúltero e a adúltera” (Levíticos 20.10; Deuteronômio 22.22). Se o adúltero fugir da justiça dos homens, não fugirá da justiça de Deus (Hebreus 13.4).

Como se calcula a idade de Jesus ao morrer?

Como sabemos que Jesus faleceu com cerca de 33 anos e meio de idade? Como é feito esse cálculo?

Como se calcula a idade de Jesus ao morrerFalar com precisão sobre a idade que Jesus tinha ao morrer está longe de ser uma tarefa fácil e descomplicada para o estudante das Escrituras Sagradas, uma vez que os Evangelhos não são como alguns acreditam uma espécie de “diário moderno” da vida de Cristo.

Ao contrário, é possível notarmos que os evangelistas não tinham como foco principal o interesse no “quando” da maioria dos eventos relacionados à vida do Mestre, o que se comprova pelo silêncio bíblico entre o período que vai dos doze aos trinta anos da história de Jesus.

Tal dificuldade se justifica pelo fato do texto bíblico não ser essencialmente um livro de história geral, antes, seu propósito original é ser um livro de salvação, que revela a incansável, justa e amorosa história de Deus em redimir e recuperar o ser humano caído e toda a criação das trágicas consequências do pecado.

Há pecados que são pequenos e pecados grandes?

Em Êxodo 32.31, Moisés se referiu ao pecado de Israel como “grande pecado”. Minha dúvida é a seguinte: existe “pecadinho” e “pecadão”?

Há pecados que são pequenos e pecados grandesO texto em apreço registra a intercessão de Moisés em favor dos israelitas. O legislador pediu perdão pela idolatria cometida pelo povo (Êxodo 32.30-32). Moisés esteve no monte por 40 dias e 40 noites (Êxodo 24.18; 31.18) recebendo a Lei, instruções para o culto e as tábuas com os dez mandamentos. Nesse intervalo, os israelitas se corromperam adorando um bezerro de ouro (Êxodo 32.4). Arão, o vice-líder cedeu às pressões do povo, promoveu a idolatria (Êxodo 32.1-4) e se tornou sacerdote de um falso culto (Êxodo 32.5-6). Ao se deparar com tamanha estupidez, Moisés reagiu com indignação: quebrou as tábuas da lei, dando a entender que o pacto com Deus tinha sido rompido; reduziu o ídolo ao pó e o misturou na água para o povo beber, fazendo os pecadores provarem da própria iniquidade (Êxodo 32.19-20). Em seguida, repreendeu o insensato Arão: “Que te tem feito este povo, que sobre ele trouxeste tamanho pecado?” (Êxodo 32.21).

Significado de “ave levar notícia”

Qual o significado das aves descritas em Eclesiastes 10.20? Elas seriam algum símbolo utilizado pelo autor do livro bíblico?

Significado de “ave levar notícia”O capítulo dez do livro de Eclesiastes trata da loucura como causa de muitas desgraças, ou seja, alerta para a obtenção de resultados ruins mesmo diante de bons planejamentos, quando se despreza a sabedoria. No versículo 20 deste capítulo, há um conselho sobre a vigilância que o indivíduo deve ter nos comentários que se fazem contra governantes ou ricos, e também em relação a homens poderosos. O conselho que o texto transmite fala de um comportamento que não amaldiçoa tais pessoas, porque tem prudência nos comentários e os faz com sabedoria. Este texto faz menção a “aves”, como sendo responsáveis em levar a voz, e também sobre “o que tem asas que daria notícia da palavra”. Afinal, o que seriam essas aves?

O versículo vinte aconselha que nem em pensamento, ou nem na intimidade do leito, deve haver desejo de amaldiçoar um governante. O comentarista bíblico Matthew Henry destaca que um súdito deve ser “cuidadoso para não abrigar propósitos desleais em suas mentes, nem manter quaisquer conspirações facciosas ou consultas contra o governo”, porque tal atitude poderá ser conhecida e levada ao governante. O comentarista destaca também que governantes, príncipes e ricos sempre terão desafetos e que por essa razão poderemos ser “tentados” em associarmo-nos a estes para criticar e se opor àqueles. É notório neste texto o conselho para se viver de forma sábia, buscando orientação divina, para não participar de grupos com pensamentos facciosos e desleais. F. Davidson observa que este conselho não significa aquiescência “com a injustiça ou com a opressão, mas antes, uma advertência para que não se incorra em riscos desnecessários”, manifestados em murmurações e desavenças insensatas.

Jesus estimulou o conflito familiar?

Jesus fez apologia a conflitos familiares? Como entender o registro de Mateus 10.35,36, se Ele veio promover a paz entre os homens?

Jesus estimulou o conflito familiarA afirmação de Jesus de que não veio para trazer “paz” a este mundo, mas “espada”, e colocar em dissensão os familiares do homem (Mateus 10.35,36) causa, à primeira vista, certa inquietação na mente quando pensamos no Senhor Jesus Cristo como o Pacificador, o Príncipe da Paz, aquele que destruiu as barreiras da separação e promoveu a união dos povos pelo sangue vertido na cruz. Mas essa inquietação desvanece quando analisamos a afirmação do Messias dentro do seu contexto.

Ao instruir seus doze discípulos para a missão de anunciar o Reino de Deus, o Senhor Jesus Cristo deixou claro que anunciar a mensagem do Evangelho não era uma tarefa que redundaria em simpatia e reconhecimento do mundo, ou mesmo em uma vida confortável. Ao contrário, eles viveriam com o mínimo necessário para subsistência. Além disso, seriam enviados como ovelhas ao meio de lobos, pois os homens os entregariam nas mãos das autoridades para serem injustamente castigados. Tudo isso porque a mensagem do Reino de Deus não é a do sucesso segundo a ótica humana.

Para onde foram enviados os demônios do gadareno?

Quando o Senhor Jesus confrontou a legião que estava no gadareno, os demônios rogaram para que eles não fossem enviados ao “abismo.” Que lugar é esse?

Para onde foram enviados os demônios do gadarenoA Bíblia registra muitos milagres de Jesus que proporcionaram grande alegria, promovendo o bem-estar físico e espiritual para quem os recebeu e aos que presenciaram o poder divino. O nome do Senhor recebia glorificação, pois as mudanças eram notáveis. Na terra dos gadarenos não foi diferente, um grande milagre também foi realizado trazendo benefícios não só para aquele homem que vivia em um estado miserável, mas a todo aquele lugar. Porém, ao invés de glorificarem a Deus, rejeitaram o Salvador, de tal forma que lhe rogaram para que saísse daquela paragem.

O milagre em apreço acontece com a libertação de um homem que andava despido e morava em sepulcros. Era costume local que os sepulcros fossem feitos em cavernas, daí sua habitação incomum. Esse homem necessitava de uma urgente libertação. A possessão demoníaca lhe proporcionava uma força distinta; quando era preso com grilhões e cadeias as quebrava. Sem dúvidas, o milagre da libertação era necessário.

Calebe era quenezeu ou hebreu?

Por que Calebe era chamado de quenezeu (Josué 14.6)? Até onde sei, ele era hebreu. Afinal qual era a etnia dele?

Calebe era quenezeu ou hebreuPara chagarmos à resposta desta pergunta, vamos inicialmente conhecer os Quenezeus na Bíblia. A primeira menção deles está na lista de povos que habitavam a terra de Canaã nos dias de Abrão (Gênesis 15.19). Por esta referência bíblica, devemos descartar a interpretação de que os Quenezeus eram descendentes de Quenaz, um príncipe, filho de Elifaz, primogênito de Esaú (Gênesis 36.11,15), pois Esaú, como sabemos, era filho de Isaque, fazendo assim o príncipe Quenaz a quarta geração de Abraão. Portanto, os Quenezeus não poderiam haver existido nos dias de Abrão, caso fossem descendentes de Quenaz, que só veio a nascer muitos anos depois. Entretanto, há uma grande possibilidade de que alguns descendentes de Esaú, tenham se integrado aos Quenezeus.