Muçulmanos se convertem a Cristo

Ameaças, torturas e perseguições não intimidam novos convertidos

Muçulmanos se convertem a CristoRecentemente, o mundo ocidental tem recebido notícias impressionantes de conversões de muçulmanos no Oriente Médio através de sonhos e demais revelações divinas do poder de Deus na vida daqueles que nasceram em berço islâmico e foram doutrinados segundo o Alcorão. Os convertidos são pessoas que ocupavam cargos de liderança na religião de Maomé ou até mesmo anônimos que frequentavam a mesquita e observavam os ritos e tradições muçulmanas. Ultimamente, um grande número de seguidores de Alá tem ouvido a Palavra de Deus e decidiu optar em receber a Jesus de Nazaré como Salvador pessoal. A igreja em países de orientação islâmica tem sido procurada por aqueles que um dia já foram seus opositores.

Em Bangladesh, no extremo oriente, as notícias sobre o desenvolvimento do cristianismo são alvissareiras. O país que conseguiu a sua independência da Índia na década de 1940 devido à sua elevada população islâmica tem experimentado desde o início do século 21 um relevante crescimento da comunidade cristã que hoje representa cerca de 1% da população.

Relato da Torre de Babel corroborado

Os 7 mil idiomas atuais resultaram de um único idioma inicial, diz estudo

Relato da Torre de Babel corroboradoMark Pagel (foto), professor de Biologia Evolutiva e especialista em Linguagem, divulgou resultados de uma pesquisa que possui elementos que podem ajudar a provar que os homens primevos faziam uso de certas palavras reconhecíveis em línguas modernas e que ainda mantém o mesmo significado. Pagel não é cristão e defende o evoulcionismo, porém a sua teoria sobre o desenvolvimento da linguagem tem como base a imagem bíblica da Torre de Babel, já que seus estudos o levaram a concordar com o relato bíblico de que houve um idioma único inicial entre os seres humanos. O estudioso, entretanto, identifica o relato da Torre de Babel apenas apenas como “tradição”.

Os pesquisadores, sob a coordenação de Pagel, utilizaram um software avançado e conseguiram determinar que, ao longo de gerações, algumas palavras não atravessaram uma metamorfose profunda. Essa informação aponta a existência de uma grande família linguística, que reúne os sete grupos da Eurásia, considerados os mais antigos. Se a tese for comprovada, chega-se à conclusão de que existiu uma língua que foi o ponto de partida das outras em determinado momento da história. Este detalhe no tempo faz conexão como registro bíblico da Torre de Babel. Até então, os linguistas tinham como referência apenas a existência de sons similares entre palavras para identificar quais teriam uma origem ancestral comum. O professor mostrou em seus estudos anteriores a evolução das 7 mil línguas faladas hoje em dia ao redor do mundo, ao analisar a utilização da linguagem e descobrir os motivos de algumas palavras terem desaparecido. “A maneira como utilizamos certas palavras na linguagem cotidiana é, de alguma forma, comum a todas as línguas da humanidade. Descobrimos que os substantivos, pronomes e advérbios são substituídos com menos frequência, ou seja, uma vez a cada 10 mil anos ou mais”, argumenta Pagel.

Combate à apologia da ignorância

Combate à apologia da ignorânciaAinda é notório, em alguns redutos evangélicos, certo preconceito no que tange aos estudos teológicos e seculares. Vez por outra, esse nefasto e equivocado pressuposto é expresso numa conversa informal ou, até mesmo, numa prédica sobre o púlpito. Historicamente, em se tratando de Assembleia de Deus, os estudos teológicos formais padeceram muita discriminação e aversão no passado, pois havia o receio de que as faculdades e institutos teológicos gerassem esfriamento espiritual.

A verdade é que experimentamos ainda hoje verdadeiras apologias à ignorância. Quantas vezes observamos a defesa da ignorância em detrimento dos estudos, sob o pretexto de que o Espírito Santo seria mais fluente na vida do indouto do que na do letrado? Recordo-me de ouvir, numa sala de aula em uma conhecida instituição teológica, durante uma preleção de um renomado pastor e teólogo, seu testemunho pessoal de como nos idos passados, ainda em sua juventude, enfrentou ferrenha oposição de seus pastores por se dedicar aos estudos. Indubitavelmente, há resquícios nítidos desta arcaica perspectiva ainda hoje, apesar de grandes esforços e considerados avanços. Hoje contamos com faculdades, escolas e cursos de altíssimo nível, além de professores, doutores e mestres que são baluartes do conhecimento bíblico-secular e exemplo de espiritualidade. Contudo, os resquícios de preconceito precisam ser totalmente erradicados.

Ante o Tribunal de Cristo

Ante o Tribunal de CristoDepois da ressurreição dos mortos e do arrebatamento da Igreja, os salvos deverão ter julgadas as suas obras (2Co 5.10). O julgamento não será pela quantidade de trabalhos que realizamos, mas, pela qualidade do que fizemos. Precisamos ter cuidado com o que fazemos (1Co 3.10). O apóstolo Paulo chama nossa atenção para nossas obras, que são comparadas com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha.

Depois de provadas nossas obras, receberemos galardão (1 Coríntios 3.11-15). É bom sempre lembrar que galardão não é o mesmo que salvação. É um prêmio que muitos receberão como recompensa pelo seu trabalho na obra de Deus.

A maioria de nós espera receber galardão. Alguns crentes, porém, dizem-se satisfeitos somente em chegar ao Céu, porém os que trabalham fielmente desejam receber o seu galardão, sua coroa.

Galardão nos fala dos motivos que nos levam a nos envolver no trabalho do Senhor: desejo de servir à Igreja, aos irmãos, a Deus? Ou vaidade, ambição, posição de mando, porfia, inveja? O Senhor conhece as intenções mais secretas da nossa vida, quando Lhe prestamos os nossos trabalhos. Ele conhece nossa sinceridade, dedicação, amor; também vê se usamos a nossa fé somente em benefício de nós mesmos.

Os cristãos como as abelhas

Os cristãos como as abelhasO mel está presente na dieta do homem desde o início da civilização. As pinturas rupestres servem como prova de que o uso do mel pelo homem é tão antigo quanto o próprio homem. Os romanos, os gregos e até mesmo os egípcios fizeram questão de registrar em manuscritos, pinturas e artefatos pessoais sua relação com as abelhas e o mel. Na Grécia antiga, mel era símbolo de fecundidade.

Hipócrates, o maior reformador da medicina antiga, prescrevia o mel no tratamento de muitas afecções e também o consumia em grande quantidade. Ele considerava que “o mel absorvido com outros alimentos tinha grande valor nutritivo e dá boa cor ao rosto”. Ele desejava que todo medicamento fosse produto alimentar e vice-versa. O mel estava nessa condição.

O mel é mencionado nas placas de argila na biblioteca do rei assírio Assurbanipal (669-633 a.C), na Odisseia de Homero e em diversos outros livros antigos, principalmente da China e da Índia, inclusive em textos de Medicina, Filosofia, Arte e tradições religiosas. Desde sempre o homem tem usado mel, e não apenas como alimento, mas como fortificante, tônico, embelezador, rejuvenescedor, fator de longevidade, estimulante do crescimento e remédio para doenças.

Perguntas de uma vida indiferente a Deus

Perguntas de uma vida indiferente a DeusA mensagem do Livro do profeta Malaquias é desafiadora. Este é um livro que “denuncia os pecados do povo no período pós-exílico, isto é, que voltou do cativeiro Babilônico”.

O grande propósito da mensagem do profeta foi o de gerar restauração da comunhão dos judeus com o Senhor. Embora ele não estivesse em posição de despertar o entusiasmo acerca da construção de algum símbolo visual da presença divina entre o povo, como estiveram os profetas Ageu e Zacarias, ele foi capaz de apontar para o centro da enfermidade espiritual que havia afetado os habitantes da Judéia.

Os próprios, que de inicio mostraram zelo e temor referente a restauração de Jerusalém, e principalmente, no que dizia respeito a vida espiritual, agora estão indiferentes.

Indiferente é o “que não desperta interesse”; “frio”; “desprezo”; “insensível”. O indiferente é aquele que não aplaude, que nem censura opiniões ou crenças desencontradas, etc.

Vejamos as diversas perguntas dos indiferentes para o Senhor, registradas em passagens bíblicas do Livro de Malaquias. Em que nos amaste? (Malaquias 1.2).

Gideão e o teste junto às águas do terror

Gideão e o teste junto às águas do terrorAo pé do Monte Gilboa, no limite sudeste do Vale de Jezreel, brotam, ainda hoje, as águas frescas e límpidas da caverna de Harod. A pequena elevação local, parte de um conjunto maior, costuma ser chamada de Monte Harod e a fonte que ali emana alimenta um complexo de piscinas muito requisitadas por turistas e por moradores de Israel, especialmente porque, logo ao se distanciarem da origem, suas águas ganham uma temperatura morna, atraindo famílias que se reúnem para o lazer, gozando desse verdadeiro oásis de vegetação abundante. Visitas ao local têm sido cada vez mais requisitadas por evangélicos de vários países, proporcionalmente ao distanciamento crescente entre nossos roteiros e os fantasiosos roteiros tradicionais. A sede dos que se dedicam ao estudo da Palavra de Deus finda por requerer das agências de viagens e dos guias turísticos um maior conhecimento da geografia, da história e dos achados arqueológicos. Em Jerusalém, por exemplo, tornou-se comum ver grupos optarem por percorrer os túneis sob a Cidade, com suas pedras datadas de mais de dois milênios, em lugar de aceitarem os caminhos da chamada “via dolorosa”, de idade mais recente, como caminho por onde teria passado o Salvador.

O crescimento do turismo evangélico em Israel ganha espaço e requer novas opções. Grupos procuram sítios históricos, inclusive doando um dos dias de excursão para trabalhar em escavações que estejam em curso, outros oferecem voluntariado com crianças ou com idosos. Há quem decida separar uma noite para cultuar ao Senhor junto aos irmãos em uma das muitas igrejas locais. Deixando de lado as catedrais e as vias enganosas, abrem-se para os cristãos os caminhos para um sem número de museus, locais de exploração, congressos, cursos, passeios de charrete, de barco, experiência no deserto em tendas beduínas, passeios de camelo, visita a lugares que retomam a vida como nos dias de Jesus com suas eiras, lagares, apriscos e fontes.

A vendedora de púrpura convertida

A vendedora de púrpura convertidaO comércio era intenso no porto do rio Nestos. A cidade de Filipos na Macedônia. Era uma cidade importante, política e economicamente; havia minas de ouro e de prata. Enquanto o comércio fervia nas ruas apertadas e nas pequenas lojas. Lá na praia, havia um grupo de pessoas escutando dois entusiastas pregadores.

Lídia ia passando com seus lindos tecidos de púrpura quando foi atraída pela curiosidade de querer saber que reunião era aquela. À medida que ela se aproximava, ia sendo cativada pelo entusiasmo, carisma e mensagem daqueles homens; pois falava com uma segurança incrível; seus rostos brilhavam enquanto falavam de um judeu chamado Jesus de Nazaré. Ela os ouviu dizer que este homem foi gerado pelo Espírito Santo que tinha nascido de uma virgem. Este Jesus tinha vindo do céu para a terra com a missão de libertar todos os homens de seus pecados, solidão e miséria.

Curado de nódulo maligno metastático

Warley, da Assembleia de Deus em Paragominas (PA), venceu o prognóstico médico e, sem sequelas, prega hoje a Palavra de Deus dentro do hospital

Curado de nódulo maligno metastáticoO irmão Warley Costa da Conceição viveu uma situação muito dolorosa, porém seguida de um grande milagre que mudou toda sua vida. Fiel obreiro da Casa do Senhor, ele congrega há 10 anos na AD em Paragominas (PA), congregação Monte Sinai, liderada pelo pastor Levi Botelho – onde é conhecido por todos como “irmão Ricardo”.

Em agosto de 2014, surgiu um nódulo do lado direito do seu pescoço. Ele conta que como não havia nenhum incômodo, a princípio não deu importância. Até que, passados alguns dias, começou o desconforto e o mal estar, além de perceber que o nódulo estava crescendo. Ele assustou-se muito ao ouvir de um médico em Teresina (PI) que seu caso era cirúrgico e havia riscos sérios de deixar sequelas permanentes. “O médico me disse que a cirurgia era muito delicada e eu poderia perder os movimentos do braço direito. Diante desse quadro assustador, comecei a clamar ao Senhor. Sem imaginar que o pior ainda estava por vir”, relata Warley.

Após uma série de exames solicitados, inclusive uma biópsia de Punção de Linfonodo dando negativo para câncer maligno, o médico realizou o procedimento cirúrgico. Passada a cirurgia e os 5 dias de recuperação no hospital, uma biópsia mais específica foi realizada com o material retirado. Warley já tinha retornado ao Pará, até que decorridos 4 dias recebeu uma ligação de seu médico pedindo autorização para fazer mais uma biópsia. “Depois de uma semana, recebi o diagnóstico: eu estava com câncer, um tipo de linfoma raro e muito agressivo. Minha esposa, Rosiléia Costa dos Santos, e eu ficamos extremamente abalados. Mas fomos aos pés do Senhor, clamar por misericórdia, pois só Ele poderia nos socorrer”.

Transtorno de ansiedade no lar

Transtorno de ansiedade no larTodo ser humano em algum momento da vida experimenta sentimentos de ansiedade em diversos graus, e esses graus variam de pessoa para pessoa. Seja pela espera da tão sonhada bicicleta, pelo início de um novo emprego, pela chegada do primeiro filho, pela mudança de escola, etc. Situações como estas fazem parte do nosso cotidiano e despertam uma reação de tensão natural no organismo. Trata-se de um tipo de alarme do sistema nervoso que é ativado sempre que percebemos uma situação diferenciada. Podemos denominar também como a representação de uma forma de estresse e que pode se manifestar física, social ou emocionalmente.

Por mais curioso que possa parecer, crianças e adolescentes vivem momentos de grande tensão assim como os adultos. E cada dia que passa, temos mais relatos de casos clínicos de crianças com sintomas de transtornos de ansiedade. Podemos citar como um dos fatores que tende a potencializar o transtorno de ansiedade em crianças e adolescentes, o conflito conjugal e porque não dizer familiar.

Com o aumento de casais em crise conjugal ou mesmo divorciados na sociedade contemporânea, as famílias têm sofrido mudanças e diversos danos na homeostase de todos os membros que fazem parte dela, sendo um deles o Transtorno de Ansiedade de Separação. Mas este pode se manifestar também em outras situações de afastamento dos pais dos filhos.